• Admin

VI Mostra Abrarte Nordeste de Arte Espírita

Entre os dias 12 e 13 de outubro de 2018 com o tema central “... e a semente caiu em terra boa”, realizou-se a VI Mostra Abrarte Nordeste de Arte Espírita na cidade de São Luís (Maranhão), contando com a participação de 72 artistas espíritas representando os estados do Maranhão, Piauí, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Na tarde do primeiro dia, após a apresentação dos artistas presentes e as palavras do Presidente da FEMAR (Federação Espírita do Maranhão), foram realizadas apresentações artísticas com o Grupo Irmãos Amor e Grupo de Arte Espírita Meimei, ambos de São Luis (MA) e o Grupo Persona de Teatro Espírita de Natal (RN).

A tarde foi concluída com a primeira parte do estudo sobre o tema central do evento e um painel sobre o Festival de Arte e Cultura Espírita de Campina Grande apresentado pelos seus organizadores.

No período noturno, realizou-se a atividade intitulada “Espaço Arte Comentada” com apresentações do Grupo de Arte Espírita Alegria Cristã (MA) e Grupo Essências (PI), seguidas de avaliações técnicas realizadas pelos artistas Sandra Loyola (Teresina/PI), Bárbara Nepomuceno (Imperatriz/MA) e Marcelo de Aquino (Natal/RN).

Na manhã do segundo dia, além da segunda parte do estudo sobre o tema do evento, foram realizadas oficinas técnicas nas linguagens da dança, teatro e música, tendo os participantes produzido breves atividades que foram apresentadas no começo da tarde do mesmo dia.

Edmundo Cezar, presidente da Abrarte, complementou as atividades da tarde do segundo dia com a apresentação de uma exposição dialogada sobre “A arte na evolução do espírito”.

O evento teve sua culminância com a realização de uma noite artística aberta ao público externo no Teatro Alcione Nazaré que contou com a participação de Osmir Freire, com um cordel especialmente criado para o evento, os grupos musicais Amor em Ressonância e Sintonia (ambos de Teresina/PI), Grupo de Arte Espírita Alegria Cristã com a peça teatral “Despertar” e Carminha Poesia (São Luis/MA) declamando o “Poema da Gratidão”, de Amélia Rodrigues, psicografia de Divaldo Franco.

0 visualização