Objetivos

Seus objetivos institucionais, definidos pelo Estatuto, são os seguintes:

I – a integração de grupos de arte e artistas espíritas, visando a troca de experiências, o estudo, a prática e a divulgação da Doutrina Espírita como religião, filosofia e ciência, nos moldes da codificação de Allan Kardec, através da arte, nas suas mais variadas formas, estimulando o desenvolvimento do senso crítico, da sensibilidade estética e do gosto pelo belo, e contribuindo para o desenvolvimento cultural da sociedade através de uma arte de qualidade;

II – a manutenção de um fórum permanente de discussão sobre Arte e Espiritismo;

III – a promoção da educação e da cultura espíritas, com ênfase nos valores ético-morais cristãos, estimulando-se o uso da arte-educação como recurso didático-pedagógico, tendo em vista a importância da arte no processo de desenvolvimento do ser humano, sob o prisma biológico, psicológico, social e espiritual;

IV – o apoio ao aperfeiçoamento artístico de grupos de arte e artistas espíritas, através de atividades como oficinas, cursos, laboratórios, fóruns, encontros, mostras de arte, ou ainda através do apoio a eventos e espetáculos promovidos pelos artistas e grupos de arte, que estimulem e promovam a melhoria constante das produções artísticas espíritas;

V – a promoção de campanhas, eventos e apresentações artísticas voltados para a difusão dos princípios espíritas e da valorização da vida, em todos os segmentos da sociedade, sem distinção de raça, cor, credo ou religião;

VI – o estímulo e favorecimento do mecenato em apoio ao trabalho desenvolvido por grupos de arte e artistas espíritas;

VII – a produção e comercialização de produtos, publicações, e serviços voltados à divulgação da doutrina e à valorização da vida, com fundamento nos princípios éticos da Doutrina Espírita;

VIII – o apoio aos eventos de arte espírita promovidos pelos artistas associados e grupos espíritas de arte e por outros que se identifiquem com os objetivos e normas da associação;

IX - a prática da caridade como dever social e do princípio da moral cristão, como exercício pleno da solidariedade e respeito ao próximo;

X – a participação ativa no movimento espírita e federativo, na busca de contínua integração e diálogo com outras instituições congêneres e do aperfeiçoamento doutrinário.